Rede Manchete

Brida

Magia marca estréia de 'Brida'

Logotipo da novela
Logotipo da novela 'Brida' - 1998 (imagem melhorada)
Magia marca estréia de ’Brida’

Manchete busca o sucesso com novela baseada em livro de Paulo Coelho

Por: Beatriz Coelho da Silva da Agência Estado

"Brida", um campeão de vendagem do mago Paulo Coelho, é o truque ao qual a Manchete recorre para ganhar o público. Baseada no primeiro livro de ficção do escritor brasileiro que mais vende na atualidade (antes ele havia publicado "O Alquimista" e "Diário de um Mago", semi-autobiográficos), a novela estréia nesta terça-feira e pretende repetir o sucesso de "Xica da Silva". Além do esoterismo de Paulo Coelho, o diretor Walter Avancini acrescentou o erotismo tão comum em suas produções. A receita foi feita para fazer a novela chegar pelo menos a dez pontos de audiência.

O projeto começou a ser trabalhado há um ano, quando a Manchete comprou os direitos do livro e entregou a adaptação a Jaime Camargo. A história, que tinha poucos personagens, será ampliada para 180 capítulos. Mas o essencial está lá. Ou, como diz Avancini, a produção "atende a uma tendência coletiva do Ocidente, de abrir-se para a espiritualidade, para a magia que nos tira dessa realidade nem sempre agradável."

Mas Brida não vive no passado. Ela é uma mulher moderna que recusa, de início, seus poderes e só os assume diante da necessidade de vencer o mal. A magia e o esoterismo são o pano de fundo da novela, mas a história gira em torno da luta pelo poder dentro de uma grande empresa.

Tudo começa no século 13, quando Loni, uma feiticeira, é condenada à morte. No século 20, no Rio, ela reencarna em Brida (Carolina Kasting), uma carioca, filha de um executivo e namorada do filho do patrão (Leonardo Vieira). O mal é encarnado pelo vice-presidente da empresa (Rubem de Falco), também bruxo, que usa de todos os artifícios, mágicos ou não, para assumir o poder e derrotar a heroína.

Para contar essa história, o diretor Walter Avancini fez mágica. A começar pelo orçamento de que dispunha, US$ 45 mil por capítulo, quase metade do que a Globo gasta em suas novelas. Além disso, surgiram problemas na formação do elenco, com atores saindo e entrando e até dificuldades para escalar a personagem-título.

Dentro de seus limites, a Manchete investe alto em "Brida" Além de levar parte do elenco para gravar na Irlanda, contratou uma agência de porte, a DPZ, para cuidar do lançamento e não economizou nos cenários construídos nos estúdios de Água Grande, subúrbio do Rio. Também usou como cenários alguns cartões postais da cidade, como a Floresta da Tijuca ou as praias de Ipanema e Leblon.

Mesmo com um potencial sucesso nas mãos, Avancini sabe que essa é uma luta de Davi e Golias. "Meu maior problema é fazer o público ter vontade de ver a novela", diz.

fonte: AN Tevê
Por Ricardo Santos de Almeida, em 05/06/2006

leia também sobre Brida

artigos

ver todos