Rede Manchete

Trajetoria da Manchete

1995-1997: Reerguimento

Por Guilherme Barbosa, em 17/05/2009
Logotipo 1996
Logotipo 1996
1995

Com o fim da grave crise, ensaia um reerguimento entre 1995 a 1997, marcado principalmente pelos sucessos de novelas, desenhos japoneses, telejornais, programas policiais, esportivos (como "A Grande Jogada"), o alugamento de programas de televendas (especialmente do Grupo Imagem com o famoso 011-1406) e religiosos evangélicos das igrejas Renascer em Cristo e Internacional da Graça de Deus (apesar de representassem na época por volta de 10% da população).

No mês de fevereiro, a emissora voltava a transmitir o Desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro.

Acontece o embargo de bens da emissora pelo estatal Banco do Brasil por causa das dívidas. De 1995 até 1997, as primeiras emissoras afiliadas dos anos 80 e inícios dos anos 90 começam deixar a Rede Manchete, passando para as redes Record e a CNT.

Devido ao processo em que Hamilton Lucas ter entrado contra Bloch para que a rede não seja vendida sem o consentimento dele em 1993, a direção do Grupo Bloch decide criar o "Bloch Som & Imagens", que ficou responsável por produzir as novelas, sem o risco de voltar para o controle do Grupo IBF.

Os anúncios já estavam no ar para a estréia do semanal "Seu Boneco nas Paradas". O programa iria ao ar aos sábados e significaria a volta da emissora à produção de programas de auditório, com números musicais e shows de calouros. Contaria ainda com a participação de personalidades em seu júri como Chiquinho Scarpa, Rogéria, Magda Cotrofe e João Roberto Kelly. A tentativa de se fazer um ?Novo Chacrinha? não deu certo e o programa foi extinto. Lug de Paula, que interpretava o personagem "Seu Boneco", apresentava ainda o "Clube do Sr. Boneco" de segunda à sexta às 17hs35min com apenas dez minutos de duração.

Vai ao ar a novela "Tocaia Grande", baseada em obra de Jorge Amado, com índice de audiência que alcançou em média 20 pontos.

A emissora passou a apelar para a nudez como foco principal de sua estratégia de conseguir audiência na noite e madrugada, tentando ficar no segundo lugar na guerra contra o SBT de Silvio Santos, perdendo como de esperado somente para a líder Rede Globo, voltando ser a vice, perdida em 1991.

Em setembro, Carlos Amorim assumiu a direção de programas jornalísticos e no dia 18, estreava o polêmico "24 Horas". Idealizado por Fernando Barbosa Lima e apresentado por Solange Bastos, era um programa altamente sensacionalista que explorava imagens fortes, mostrando a realidade nua e crua. A crítica o viu como uma reedição do Documento Especial: Televisão Verdade, levado ao ar em 1990. O programa atraiu significativa audiência e ajudava a formar uma grade de programação mais popular.

No início de novembro, Márcia Peltier inovou e trouxe para a Televisão Brasileira o primeiro jornalístico baseado em pesquisas. O "Márcia Peltier Pesquisa" estreou no dia 8 de outubro e atraiu uma audiência de cerca de 10 pontos, o que acelerou a subida da emissora. A programação da Manchete se fixava e a emissora fidelizava sua audiência.

Em 20 de novembro, o empresário e dono da emissora, Adolpho Bloch, falecia aos 87 anos de embolia pulmonar, no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo. Os parentes de Adolpho assumem a presidência da emissora.

1996

No início de 1996, a rede crescia e programas como o Câmera Manchete ganhavam destaque e audiência.

Uma nova vinheta marcaria o início da programação desse novo ano com o slogan: "Rede Manchete, você em Primeiro Lugar".

Depois de transmitir o carnaval, em fevereiro, a Manchete se preparava para lançar uma programação popular e ao mesmo tempo com muitos documentários. As novidades começaram já no dia 9 de fevereiro, com a estréia do "Programa Raul Gil" aos sábados das 14-18h30. O clássico programa seria o grande trunfo da emissora para largar de vez o perfil da "TV de 1ª Classe". A audiência subiu, tornando a emissora líder de audiência por várias vezes nas tardes de sábado.

As novidades continuavam com a estréia em abril do esportivo "Toque de Bola", um debate apresentado pelo veterano Paulo Stein aos domingos, das 21hs30min às 22hs30min. No mesmo embalo, após o programa terminar, estreava "O Grande Júri", com José Carlos Cataldi, que acabou não tendo sucesso.

No mesmo pacote das novidades, voltavam do fundo do baú as séries "National Kid" e "Ultraman", além da estréia dos desenhos japoneses "Sailor Moon", "Shurato" e "Samurais Warriors".

Em abril, seguindo a linha dos jornalísticos, entrava no ar o "Na Rota do Crime", apresentado por Marcos Hummel, que seria exibido todas as sextas na faixa das 22hs30min. O propósito do programa era acompanhar os policiais em diversas operações pelas favelas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Sendo assim, chegou muitas vezes a liderar a audiência no horário com médias de até 16 pontos. Com mais essa novidade, a faixa das 22h30 estava dedicada a programas jornalísticos de segunda à sexta.

Em junho, a emissora comemorava 13 anos com uma grande festa. Foram dois shows com artistas famosos: um para os funcionários com Daniela Mercury, e outro para o público, em plena tarde de domingo no Aterro do Flamengo, em frente ao prédio-sede da emissora. O show durou das 16hs às 20hs e contou com as participações dos grupos "Só Pra Contrariar" (SPC), "Double You", "Roupa Nova" e "Os Morenos".

Em meio às novidades dos "13 anos", dois programas estreariam no dia seguinte: Gente Importante apresentado por Anna Bentes Bloch, com entrevistas nas tardes de segunda à sexta, e "Manchete Verdade", um telejornal no estilo de uma revista eletrônica, com ancoragem de Marcos Hummel e as participações diárias de Dora Bria (esportes), Carlos Chagas (política), Tamara Leftel (economia) e Ique (charges). A emissora se firmava como o canal da notícia e da informação.

Nas noites de sábado estreou o programa "Uma História de Sucesso", que mostrava a trajetória de cantores e grupos musicais do Brasil e do mundo e também mostrava o dia a dia de personalidades famosas da música e da televisão.

No mês de julho e agosto, a Manchete se preparava para apresentar os Jogos Olímpicos de Atlanta de 1996, intitulados "Olimpíadas de Ouro". A transmissão do evento contou com a apresentação do "Jornal da Manchete" por Márcia Peltier, direto da cidade-sede do evento, nos EUA.

Em julho, a Manchete estreava uma nova vinheta que mostrava ao fundo telas de quadros de pintores renomados.

Em setembro, sob o comando de Walter Avancinni, entrou no ar "Xica da Silva". A novela conta a história da Xica da Silva (protagonizada pela então desconhecida atriz Taís Araújo) na época do Brasil Colonial do século XVIII, que escandalizou a sociedade de sua época. Exibida entre 22hs10min até 23hs com classificação para maiores de 14 anos, a novela foi um grande sucesso de audiência desde Pantanal, chegando a ultrapassar a Rede Globo. A novela atingiu uma média de 17 pontos com picos de 22. A Manchete estava em segundo lugar absoluta em vários horários e poderia ser considerada a terceira colocada no ranking em audiência e crescimento.

Juntamente com a novela Xica da Silva era lançada uma nova vinheta, que ficaria no ar até 1999.

1997

A emissora entra no ano de 1997, sustentada pelo sucesso de Xica da Silva. Para se ter uma idéia, na época da novela, o "Jornal da Manchete" registrava médias entre oito a nove pontos. Além de sustentáculo para a programação, a arrecadação com a trama possibilitava novos investimentos. Foi destaque no jornalismo da emissora durante o ano: "Na Rota do Crime", "Operação Resgate", "24 Horas" e "Câmera Manchete".

Sendo assim, as novidades vieram rápidas. Entre as novas atrações, estreava Mistério, apresentado por Walter Avancinni, que passaria a revezar com o Câmera Manchete as noites de quarta. O propósito era mostrar fenômenos paranormais ressuscitando a velha fórmula do "Acredite Se Quiser", também apresentado no final da década de 1980.

O semanal "Na Rota do Crime" ganhava agora uma edição diária com meia hora de duração apresentada por Florestan Fernandes.

Marcos Hummel passou a dividir a apresentação do "Jornal da Manchete" com Márcia Peltier. Essa última alteração, no entanto, durou pouco tempo. Embora a audiência do jornal tivesse aumentado, a emissora tirou Marcos Hummel da apresentação do jornal.

Após um bom desempenho como especial de final de ano de 1996, o musical "Mexe Brasil", tornou-se programa fixo semanal. Inspirado no especial "Samba Brasil", estreou nas noites de sábado, indo ao ar logo após o Jornal da Manchete.

Nas tardes de domingo, em parceria com a "TV Ômega", de Amílcare Dallevo, uma nova proposta surgia. A emissora trazia de volta o veterano Jota Silvestre, juntamente com Marcelo Augusto, Thunderbird e as crianças Luís Fernando e Isabella no comando do Domingo Milionário. Com muitos jogos e brincadeiras, o programa oferecia o prêmio máximo de 1 milhão de reais, além do sorteio de vários carros entre os participantes que telefonassem a partir do sistema "0900". Jota Silvestre trouxe de volta seu velho sucesso, o quadro "O Céu é o Limite". Mais tarde, Sérgio Reis entrava no programa apresentado o campestre "Sérgio Reis do Tamanho do Brasil".

A emissora lançou a menina Debby, de apenas cinco anos de idade, como apresentadora da nova versão do "Clube da Criança", exibido às 18hs, com apenas meia hora de duração. A atração veio como uma resposta ao programa "Disney Club" do mesmo gênero, que havia estreado no SBT meses atrás.

Para as tardes, a emissora lançou o feminino "Mulher de Hoje", comandado por Beth Russo, que mesclava, entre outros assuntos, dicas de beleza, culinária, artesanato e entrevistas.

Em 10 de agosto, Patrícia Luchesi (mais conhecida pelo comercial onde aparece ganhando o primeiro sutiã em 1988) e o cantor Sérgio Reis, estréiam novo programa Sérgio Reis do Tamanho do Brasil. Patrícia interpreta a empregada matuta Marinilda, enquanto Sérgio faz o papel do próprio cantor real. Além dos esquetes, o programa traz ainda convidados como Roberta Miranda, Zezé di Camargo & Luciano e até o autor de novelas Benedito Ruy Barbosa.

Em 19 de agosto, com o fim de "Xica da Silva", entrava no ar o "Mandacaru", baseada na história do cangaço. Apesar de a novela ser um sucesso, não repetiu o sucesso da anterior, ficando presa à média de 8 pontos de audiência com os picos de 12 pontos, mas reage e tem 11 pontos com 15 picos de audiência.

Em 23 de agosto, Sula Miranda estreou o musical "Sula Miranda Show", nas noites de sábado. O Mexe Brasil, por sua vez, foi transferido para a quinta-feira, substituindo o independente "Business", que passou para as noites de domingo.

Nessa mesma época, estreava o programa de entrevistas de segunda as sextas "Sandy & Júnior Show", que por sinal acabou permanecendo no ar alguns meses. Em seu lugar, estreou o "Manchete Clip Show", programa de vídeo clips exibido de segundas às sextas.

Em 13 de outubro, o humorista Tiririca, estreava o programa infantil Vila do Tiririca. Exibido de segunda, às sextas-feiras, entre 18hs30min até 19hs, a atração ficou poucos meses no ar e o Tiririca transfere para o SBT.

Durante os meses de novembro dezembro, a Rede Manchete realizou uma grande campanha para arrecadar fundos em benefício ao natal de pessoas carentes. A campanha denominada "Natal Feliz", teve o apoio da "Fundação Renascer em Cristo", com participação e apoio de todo o elenco da emissora.

No dia 5 de dezembro, o técnico da seleção brasileira Zagallo, estreava o programa Bate Bola com Zagallo, no ar nas sextas-feiras às 23hs40min, com 5 minutos de duração. Zagallo recebe mais de R$ 5 mil por mês. No entanto, a atração ficou poucos meses no ar.

No mesmo mês, Beth Russo deixa o programa Mulher de Hoje e é substituído interinamente por Celso Russomanno.


Baseado no site Rede Manchete - Uma História de Sucesso, escrito por Diogo Montano: www.redemanchete.net/historia
Por Guilherme Barbosa, em 17/05/2009

leia também sobre Trajetoria da Manchete

artigos

ver todos