Rede Manchete

Corpo Santo

Corpo Santo - A Primeira Novela a abordar a AIDS

Corpo Santo - 1987
Corpo Santo - 1987

Corpo Santo - a primeira a abordar AIDS

Jornal/Revista: Jornal do Brasil
Data de Publicação: 30/8/1987
Autor/Repórter: Lúcia Rito

A AIDS CHEGA À NOVELA

No ar, a partir do dia 8, o drama de Marina,- prostituta de Corpo
Santo que se torna aidética

Enfim a televisão brasileira vai tocar num assunto que está mexendo com a cabeça de todo mundo: a novela Corpo Santo mostra, no próximo dia 8, na TV Manchete, a primeira personagem aidética do vídeo brasileiro. A prostituta Marina, interpretada pela atriz Eliene Narduchi, vai ao médico, desconfiada de um gânglio que apareceu no seu pescoço, e horas depois todos os seus amigos já sabem que Marina pegou a doença. O preconceito é tão grande que, um mês antes de o capítulo ir ao ar, a divulgação da notícia na revista Amiga transformou a vida de Eliene Narduchi num inferno. Os vizinhos deixaram de falar com ela, passaram a mudar de calçada quando a encontram na rua e mesmo alguns atores criticaram sua decisão de aceitar o papel. A atriz ficou  perplexa com essas reações. "Acho que já estava na hora de falar da AIDS e quando o Louzeiro me chamou aceitei na hora."


Marina é a única das prostitutas de Corpo Santo a fazer propaganda da camisinha-de-vênus: "homem bem vestido não corre perigo, mulher prevenida não sai da vida," costuma dizer a prostituta em algumas cenas. "Mas a escolhi assim mesmo, porque ninguém sabe exatamente como se pega a doença e, sem ser didático, quero aproveitar a brecha para dar o maior número de informações sobre a doença", diz o escritor.

Acostumada a participar de vários comerciais fazendo o papel de mãe e dona-de-casa bem-comportada, Eliene Narduchi, 32 anos e um currículo onde predominam os trabalhos no teatro, visitou  as boates da Lapa e da Praça Mauá para compor Marina, a primeira prostituta da sua carreira.

"Conversei com muitas prostitutas e todas falam da Aids com pavor, porque é uma ameaça que elas enfrentam no dia-a-dia e contra a qual não sabem se defender". Como sua personagem, Eliene também não se esquece de ter sempre na bolsa uma camisinha-de-vênus e sente que a paranóia em relação à doença é geral. "Os solteiros como eu não sabem o que fazer. Numa festa, por exemplo, sempre penso três vezes antes de sair com alguém. É impossível selecionar um parceiro, e pelo menos com a camisinha a gente tem mais segurança", diz ela. Por causa do seu personagem na novela, Eliene Narduchi participou de um debate no Sem Censura na TVE, com um padre e uma psicóloga. Ficou surpresa com o número de telespectadores que ligaram para fazer perguntas objetivas sobre a doença. Em Corpo Santo a prostituta Marina vai ser avisada por seu amante Arthurzão (Otávio Augusto) que está com AIDS. E a partir
dai vai receber não só a solidariedade de outras colegas de profissão
como a atenção constante do amante, um policial corrupto que se humaniza ao fazer tudo para aliviar as dores de Marina. "Não vamos mostrar o penoso e sofrido processo da doença", promete Louzeiro.

leia também sobre Corpo Santo

artigos

ver todos